Palavras mais palavras, malditas, desgraçadas... outra vez jogadas contra o vento. Tudo aquilo que senti já não vale mais nada agora que vejo o quão tolo foi acreditar que o calor humano da revolução jamais queimaria minhas mãos e vejo a “solidariedade proletária” escorrer pelo sangue nas costas de meus irmãos... Agora que se contam corpos como grãos, com os mortos enterramos nossos ideais. Como não alimentar o ódio em meu olhar se a dor da traição aumenta cada vez que lembro de teu discurso febril escondendo a foice em teus olhos, e me sinto tão usado, infantil e tão culpado, imundo, vazio, doente, imbecil, tudo por ter acreditado uma vez.


Lyrics submitted by Vê'sBrokenHeart?!

corvos do paraíso song meanings
Add your thoughts

No Comments

sort form View by:
  • No Comments

Add your thoughts

Log in now to tell us what you think this song means.

Don’t have an account? Create an account with SongMeanings to post comments, submit lyrics, and more. It’s super easy, we promise!

Back to top
explain