"Olhar Estrangeiro" as written by and Guilherme Arantes....
Vejo as pessoas com o olhar mais estrangeiro
O olhar do estranhamento o que não tem nada a perder
Vou sentar no meio-fio da rua, contra-mão da multidão
No frenesi dos carros sem sentido
Pra seguir, não sou daqui
Que não tem pra onde fugir, oh yeah babe

Sem esconderijo pra sumir
Relógios galopando um tempo inútil que acelera
Quanto mais nos desespera está mais longe de acertar
A engrenagem não encaixa, e a cidade é uma cilada
Tem de tudo e não tem nada em que eu
Pudesse me achar, não sou daqui
Que não tem pra onde fugir, oh yeah, babe

Sem esconderijo pra sumir
Eu vejo um menino sujo na esquina
Ele podia ser meu filho
Com seu olhar perdido o mesmo que eu tinha
E a poluição me faz chorar

Vejo as pessoas com o olhar mais estrangeiro
O olhar do estranhamento o que não tem nada a perder
Vou sentar no meio-fio da rua, contra-mão da multidão
No frenesi dos carros sem sentido
Pra seguir, não sou daqui
Que não tem pra onde fugir, oh yeah babe

Sem esconderijo pra sumir
Relógios galopando um tempo inútil que acelera
Quanto mais nos desespera está mais longe de acertar
A engrenagem não encaixa, e a cidade é uma cilada
Tem de tudo e não tem nada em que eu
Pudesse me achar, não sou daqui
Que não tem pra onde fugir, oh yeah, babe

Sem esconderijo pra sumir
Eu vejo um menino sujo na esquina
Ele podia ser meu filho
Com seu olhar perdido o mesmo que eu tinha
E a poluição me faz chorar uuh
Me faz chorar


Lyrics submitted by SongMeanings

"Olhar Estrangeiro" as written by Guilherme Arantes

Lyrics © Sony/ATV Music Publishing LLC

Lyrics powered by LyricFind

Olhar Estrangeiro song meanings
Add your thoughts

No Comments

sort form View by:
  • No Comments

Add your thoughts

Log in now to tell us what you think this song means.

Don’t have an account? Create an account with SongMeanings to post comments, submit lyrics, and more. It’s super easy, we promise!

Back to top
explain