"Moldura do Quadro Roubado" as written by and Guilherme Arantes....
Faz de conta que eu não sei
Que o mundo está na imunda mão
Da quadrilha de gravata
Que me assalta um terço todo mês
Faz de conta que eu pensei
Que era fácil prosperar, crescer
Sem vender a minha alma ao lobo
E ser cordeiro de uma vez

E onde foi que eu li
Que era cor de rosa
Que era só rezar
Pra ele ouvir?

Mil promessas de eleição
A favela então cresceu, explodiu
A escola não ensinou e faliu
E no hospital a humilhação
Que o povo acreditou
Na voz rouca do pastor doutor
E acredita em qualquer pai que venda
O seu baú da felicidade
E onde foi que eu li

E na América Latina ecoou um só pranto


Lyrics submitted by SongMeanings

"Moldura do Quadro Roubado" as written by Guilherme Arantes

Lyrics © Sony/ATV Music Publishing LLC

Lyrics powered by LyricFind

Moldura do Quadro Roubado song meanings
Add your thoughts

No Comments

sort form View by:
  • No Comments

Add your thoughts

Log in now to tell us what you think this song means.

Don’t have an account? Create an account with SongMeanings to post comments, submit lyrics, and more. It’s super easy, we promise!

Back to top
explain