"Duas Lágrimas de Orvalho" as written by and Pedro Santos Joao Barbosa....
Duas lágrimas de orvalho
Caíram nas minhas mãos
Quando eu te afaguei o rosto
Pobre de mim, pouco valho
Pra te acudir na desgraça
Pra te valer no desgosto

Pobre de mim, pouco valho
Pra te acudir na desgraça
Pra te valer no desgosto

Por que choras, não me dizes
Não é preciso dizê-lo
Não dizes, eu adivinho
Os amantes infelizes
Deveriam ter coragem
Para mudar de caminho

Os amantes infelizes
Deveriam ter coragem
Para mudar de caminho

Por amor damos alma
Damos corpo, damos tudo
Até cansarmos na jornada
Mas quando a vida se acaba
O que era amor, é saudade
E a vida já não é nada

Mas quando a vida se acaba
O que era amor, é saudade
E a vida já não é nada

Se estás a tempo, recua
Amordaça o coração
Mata o passado e sorri
Mas se não estás continua
Disse-me isto minha mãe
Ao ver-me chorar por ti

Mas se não estás continua
Disse-me isto minha mãe
Ao ver-me chorar por ti


Lyrics submitted by SongMeanings

"Duas Lágrimas de Orvalho" as written by Pedro Santos Joao Barbosa

Lyrics © S.P.A.(SOCIEDADE PORTUGUESA DE AUTORES)

Lyrics powered by LyricFind

Duas Lágrimas de Orvalho song meanings
Add your thoughts

No Comments

sort form View by:
  • No Comments

Add your thoughts

Log in now to tell us what you think this song means.

Don’t have an account? Create an account with SongMeanings to post comments, submit lyrics, and more. It’s super easy, we promise!

Back to top
explain