com as cadeiras na batida e o cabelo ao som
se te foge a rapariga volta sem batom
bota a boca na botija que eu seguro o som
uma desculpa e de seguida já está bom
não te apanhe a dormir
que a morena vai conseguir
pôr a gente a mexer
o poeta não te vai valer
que o mar já está velho para voltar
felizmente ainda há prazer
navegar navegar navegar
a canção a renascer
afro-xula para dançar.

se estás com medo da matilha liga ao tio maçon
ele que mande o regicida desligar o som
guarda bem a tua amiga isto não é o fon-fon-fon
estou a vê-la convencida que afro-xula é mesmo bom
não te apanhe a curtir
o que é que vem a seguir
a morena a aquecer
e a guerrilha a pedir para ver então
assim se faz revolução
o menino em barafunda a dar beijinhos no mamão
o mamão já na segunda a ser mamífero porque não
vão chegando mais amigos
nem sequer há inspeção
cada um purga castigos
vai batendo com a mão

o aníbal a comer
o polícia a cozinhar
toda a gente sem poder
e ninguém a trabalhar.

sei que a cada homem cada sonho
sou mais uma presa do medronho
pedem-me um roteiro de viagem
mas eu nunca cantei uma mensagem
felizmente ainda há prazer
navegar navegar navegar
a canção a renascer
afro-xula para dançar.

o aníbal a comer
o polícia a cozinhar
toda a gente sem poder
e ninguém a trabalhar.


Lyrics submitted by bracarvs60

Afro-Xula song meanings
Add your thoughts

No Comments

sort form View by:
  • No Comments

Add your thoughts

Log in now to tell us what you think this song means.

Don’t have an account? Create an account with SongMeanings to post comments, submit lyrics, and more. It’s super easy, we promise!

Back to top
explain