Vejo limpo o horizonte
Dou um passo há uma pedra
Outro passo ratoeira
Vejo a porta entreaberta
Vejo-a mesmo a ser fechada
Neste meu alegre rosto
Sopra o vento do lado oposto

Vejo o muro bem baixinho
Ao subir está encoberta
Uma cerca pontiaguda
A janela vejo ao longe
Ao chegar, não só fechada
Como está com cadeado
Meu suor cai ao chão, molhado

De pé coxinho, atado
Cambaleia em cada crença
O joelho golpeado
Qual será minha sentença?

E corre a mágoa nas veias
Sua diária maratona
E lentas chegam as forças
Com o alento vem à tona

Pé coxinho, pé atado
O joelho golpeado
A mancar eu sigo em frente
E o mindinho a ser trilhado

Imaginem outro fado
Há-de haver uma nascente


Lyrics submitted by JucaOPastor

Adversidade song meanings
Add your thoughts

No Comments

sort form View by:
  • No Comments

Add your thoughts

Log in now to tell us what you think this song means.

Don’t have an account? Create an account with SongMeanings to post comments, submit lyrics, and more. It’s super easy, we promise!

Back to top
explain