Anoitece
Nas vielas e nas esquinas
Nas escadas e nas colinas
Nas calçadas feitas à mão
No bater do meu coração
Mas não me canso de percorrer
A cidade em que vim nascer
Onde o Tejo vem adormecer
E é uma porta aberta para o mar
Um convite p'ra navegar
E que abraça quem quer chegar
Desde sempre assim foi

P'las manhãs
Do Castelo desço a Alfama
Labirinto de casas brancas
Enfeitadas com andorinhas
E que é o berço de tradições
Do velho fado, das procissões
Das tabernas e dos pregões
E onde nas ruas pequeninas
Ainda ecoam trovas antigas
E se inventam novas cantigas
De louvar ao bom Santo António
Que Lisboa venera

Eu só queria desenhar nesta melodia
O amor à minha cidade
Teimosa fantasia

É assim
Que eu gosto de imaginar
Esta Lisboa secular
Onde habitam todos os povos
De tantas raças, velhos e novos
A cidade mais luminosa
Bela, mágica, radiosa
Eu vou sempre cantar
P'ra ti Lisboa
De entre todas a mais formosa
Bela, mágica, radiosa
Vou p'ra sempre cantar


Lyrics submitted by Pinto55

Lisboa song meanings
Add your thoughts

No Comments

sort form View by:
  • No Comments

Add your thoughts

Log in now to tell us what you think this song means.

Don’t have an account? Create an account with SongMeanings to post comments, submit lyrics, and more. It’s super easy, we promise!

Back to top
explain