"Lustres E Pingentes" as written by and Amaral/motta....
Veja bem
Pra quem dizia querer bem
Seu olhar aparece infeliz
Não condiz
Com um grande amor

Tudo bem
Dou as minhas flores pra ninguém
Já que você, baby, não quis
E nem diz
Que o amor já passou
Olhe bem

Como uma época de sonhos raros e inocentes
Cheia de luzes, tantas luas, lustres e pingentes
Como uma sala art-decô o nosso amor brilhou
Em vão

Solidão
Uma orquestra muda no salão
Um vestido caro de ontem
Que alguém
Não sabe onde pôs

Tudo bem
Dou as minhas noites pra ninguém
Se você, meu bem, não quiser
Não puder
Guardá-las pra mim
Veja bem
Há pouco tempo a gente andava sob o céu do amor
Na primavera a brisa era o nosso cobertor
Mas o outono trouxe o abandono em nossa direção
Ilusão

Tente entender
Eu quero você
Todo o tempo
E é tão certo você por perto


Lyrics submitted by SongMeanings

"Lustres E Pingentes" as written by Francisco Eduardo Fa Amaral Eduardo Motta

Lyrics © Sony/ATV Music Publishing LLC

Lyrics powered by LyricFind

Lustres E Pingentes song meanings
Add your thoughts

No Comments

sort form View by:
  • No Comments

Add your thoughts

Log in now to tell us what you think this song means.

Don’t have an account? Create an account with SongMeanings to post comments, submit lyrics, and more. It’s super easy, we promise!

Back to top
explain