"Terceira Lamina" as written by and Ze Ramalho....
É aquela que fere
Que virá mais tranqüila
Com a fome do povo
Com pedaços da vida
Com a dura semente
Que se prende no fogo
De toda multidão

Acho bem mais
Do que pedras na mão
Dos que vivem calados
Pendurados no tempo
Esquecendo os momentos

Na fundura do poço
Na garganta do fosso
Na voz de um cantador

E virá como guerra
A terceira mensagem
Na cabeça do homem
Aflição e coragem
Afastado da terra
Ele pensa na fera
Que o começa a devorar

Acho que os anos
Irão se passar
Com aquela certeza
Que teremos no olho
Novamente a idéia

De sairmos do poço
Da garganta do fosso
Na voz de um cantador

É aquela que fere
Que virá mais tranqüila
Com a fome do povo
Com pedaços da vida
Com a dura semente
Que se prende no fogo
De toda multidão

Acho bem mais
Do que pedras na mão
Dos que vivem calados
Pendurados no tempo
Esquecendo os momentos

Na fundura do poço
Na garganta do fosso
Na voz de um cantador

Ei, ah
Ô uô
Ei, ah
Ô, ô
Ô, ô, ô, ô, ô, ô

Ei, ah
Ô uô
Ei, ah
Ô, ô


Lyrics submitted by SongMeanings

"Terceira Lamina" as written by Ze Ramalho Jose (neto) Ramalho

Lyrics © EMI Music Publishing

Lyrics powered by LyricFind

Terceira Lamina song meanings
Add your thoughts

No Comments

sort form View by:
  • No Comments

Add your thoughts

Log in now to tell us what you think this song means.

Don’t have an account? Create an account with SongMeanings to post comments, submit lyrics, and more. It’s super easy, we promise!

Back to top
explain