"Telegrama" as written by Jose De Ribamar Coelho Santos, Antonio Carlos Jobim and Adilea Da Rocha Macedo....
Eu tava triste tristinho
Mais sem graça que a top model magrela na passarela
Eu 'tava só sozinho
Mais solitário que um Paulistano
Que um canastrão na hora que cai o pano
'Tava mais bobo que banda de rock
Que um palhaço do circo Vostok

Mas ontem eu recebi um telegrama
Era você de Aracaju ou do Alabama
Dizendo nêgo, sinta-se feliz
Porque no mundo tem alguém que diz
Que muito te ama!
Que tanto te ama!
Que muito, muito te ama
Que tanto te ama!

Por isso hoje eu acordei com uma vontade danada
De mandar flores ao delegado
De bater na porta do vizinho e desejar bom dia
De beijar o Português da padaria

hoje eu acordei com uma vontade danada
De mandar flores ao delegado
De bater na porta do vizinho e desejar bom dia
De beijar o Português da padaria

Mama, oh mama, oh mama
Quero ser seu quero ser seu quero ser seu quero ser seu papa

Mama, oh mama, oh mama
Quero ser seu quero ser seu quero ser seu quero ser seu papa

Eu tava triste, tristinho
Mais sem graça que a top-model magrela na passarela
Eu 'tava só, sozinho
Mais solitário que um Paulistano
Que um vilão de filme Mexicano
Tava mais bobo que banda de rock
Que um palhaço do circo Vostok

Mas ontem eu recebi um telegrama
Era você de Aracaju ou do Alabama
Dizendo nego sinta-se feliz
Porque no mundo tem alguém que diz
Que muito te ama!
Que tanto te ama!
Que muito te ama!
Que tanto, tanto te ama!

Por isso hoje eu acordei com uma vontade danada
De mandar flores ao delegado
De bater na porta do vizinho e desejar bom dia
De beijar o Português da padaria

Hoje eu acordei com uma vontade danada
De mandar flores ao delegado
De bater na porta do vizinho e desejar bom dia
De beijar o português da padaria

Me dê a mão, vamos sair
Pra ver o sol!

Mama, oh mama, oh mama
Quero ser seu quero ser seu quero ser seu quero ser seu papa

Mama, oh mama, oh mama
Quero ser seu quero ser seu quero ser seu quero ser seu papa

hoje eu acordei com uma vontade danada
De mandar flores ao delegado
De bater na porta do vizinho e desejar bom dia
De beijar o Português da padaria

hoje eu acordei com uma vontade danada
De mandar flores ao delegado
De bater na porta do vizinho e desejar bom dia
De beijar o Português da padaria

Mama, oh mama, oh mama
Quero ser seu quero ser seu quero ser seu quero ser seu papa

Mama, oh mama, oh mama
Quero ser seu quero ser seu quero ser seu quero ser seu papa

Mama, oh mama, oh mama
Quero ser seu quero ser seu quero ser seu quero ser seu papa

Mama, oh mama, oh mama
Me dê a mão, vamos sair pra ver o sol (quero ser seu, quero ser seu)


Lyrics submitted by SongMeanings

"Telegrama" as written by Antonio Carlos Jobim Adilea Da Rocha Macedo

Lyrics © Universal Music Publishing Group

Lyrics powered by LyricFind

Telegrama song meanings
Add your thoughts

No Comments

sort form View by:
  • No Comments

Add your thoughts

Log in now to tell us what you think this song means.

Don’t have an account? Create an account with SongMeanings to post comments, submit lyrics, and more. It’s super easy, we promise!

Back to top
explain