"Sambatron" as written by and Francisco Eduardo/de Alvarenga Amaral....
Pode ser que seja normal
Pode ser o início do fim
Se você disser que o samba é esse
Tomara que sim
Eu estava por aí
Meio assim paixão residual
Eu estava à espera do final
Do juízo sobre nós

Eu estava por aqui
Bem assim, depois do carnaval
Eu estava à espera do final
Do juízo sobre mim

Eu estava bem aqui
Nessa ilha artificial
Eu estava à espera do final
Do juízo sobre o mal

Eu estava à espera do final
Do juízo sobre mim
Eu estava à espera do final
Do juízo sobre o mal

Para quem tem dois ouvidos
E não consegue entender
Para quem tem duas mãos
E, não, não consegue doar
Para quem tem dois pulmões
E ainda assim falta are

Para quem tem sexo
E sexo só não faz gozar

Para quem tem duas pernas
E não consegue chegar
Para quem tem olhos, dois
E não consegue enxergar
Para quem tem coração
E nunca vai saber amar
Para quem só dá valor
Quando se pode comprar

É pau é pó é pedra, é o problema crônico
É o samba eletrônico, é o sério e o cômico
O mudo e o afônico, é o mundo atômico
É o saco sem fundo sem nexo do mundo, eu sei

Laia badaia sabadana
ave-maria
É pau é pedra é toda alvenaria, eu sei


Lyrics submitted by SongMeanings

"Sambatron" as written by Francisco Eduardo Fa Amaral Samuel Rosa De Alvarenga

Lyrics © EMI Music Publishing, Sony/ATV Music Publishing LLC

Lyrics powered by LyricFind

Sambatron song meanings
Add your thoughts

No Comments

sort form View by:
  • No Comments

Add your thoughts

Log in now to tell us what you think this song means.

Don’t have an account? Create an account with SongMeanings to post comments, submit lyrics, and more. It’s super easy, we promise!

Back to top
explain