"Vacilão" as written by and Jose Roberto Rangel Chapelen....
Aquilo que era mulher
Pra não te acordar cedo
Saía da cama na ponta do pé
Só te chamava tarde sabia teu gosto
Na bandeja, café
Chocolate, biscoito, salada de fruta
Suco de mamão

No almoço era filé mignon
Com arroz à la grega, batata corada
Um vinho do bom
No jantar era a mesma fartura do almoço
E ainda tinha opção
É mas deu mole ela dispensou você
Chegou em casa outra vez doidão

Brigou com a preta sem razão
Quis comer arroz doce com quiabo
Botou sal na batida de limão
Deu lavagem ao macaco, banana pro porco, osso pro gato
Sardinha ao cachorro, cachaça pro pato
Entrou no chuveiro de terno e sapato
Não queria papo
Foi lá no porão, pegou tres-oitão

Deu tiro na mão do próprio irmão
Que quis te segurar
Eu consegui te desarmar
Foi pra rua de novo
Entrou no velório pulando a janela
Xingou o defunto, apagou a vela

Cantou a viúva mulher de favela
Deu um beijo nela
O bicho pegou a polícia chegou
Um couro levou em cana entrou
Ela não te quer mais
Bem feito!


Lyrics submitted by SongMeanings

"Vaciláo" as written by Jose Roberto Rangel Chapelen

Lyrics © Universal Music Publishing Group

Lyrics powered by LyricFind

Vacilão song meanings
Add your thoughts

No Comments

sort form View by:
  • No Comments

Add your thoughts

Log in now to tell us what you think this song means.

Don’t have an account? Create an account with SongMeanings to post comments, submit lyrics, and more. It’s super easy, we promise!

Back to top
explain