"Kryptônia" as written by and José Ramalho....
Nãoo admito que me fale assim
Eu sou o seu décimo-sexto pai
Sou primogênito do teu aví´ primeiro curandeiro
Alcoviteiro das mulheres que corriam sob teu nariz

Me deves respeito pelo menos dinheiro
Esse é o cometa fulgurante que espatifou
Um asteróide pequeno
Que todos chamam de terra

De Kryptônia desce teu olhar
E quatro elos prendem tua mãoo
Cala-te boca companheiro
Vá embora que má-criaçãoo

De outro jeito nãoo se dissimularia
A suma criaçãoo
E foi o silêncio que habitou-se no meio
Ele é o cometa fulgurante que espatifou
Um asteróide pequeno
Que todos chamam de terra


Lyrics submitted by SongMeanings

"Kryptônia" as written by José Ramalho

Lyrics © EMI Music Publishing

Lyrics powered by LyricFind

Kryptônia song meanings
Add your thoughts

No Comments

sort form View by:
  • No Comments

Add your thoughts

Log in now to tell us what you think this song means.

Don’t have an account? Create an account with SongMeanings to post comments, submit lyrics, and more. It’s super easy, we promise!

Back to top
explain