Cola-me no chão, querida
O meu objectivo não é cair nem ficar sem barriga.
Ajuda-me a ficar no chão, recente convertida
Às teorias que apontam para a cura da SIDA.

Adubar os pés para alcançar o tecto.
Alimentar a mente e perder o afecto,
E perder o afecto.

Vão pintar o teu retrato
Sem qualquer ponta de maldade
Far-se-á grande aparato
Se contestarem a verdade.
A fita métrica não é a tua
E a medição não é a de um cobarde
Tu tens trinta anos de altura
E apenas um metro de idade.

Tira-me do chão, querida
Não seria bom levantar voo e mudar de vida?
Ajuda-me a acordar, tenho a boca seca e dorida
Do meu sonho a preto e branco onde tu surges colorida.

Algemar os pulsos e deixar a vida de furtos.
Começar a ler poesia e envelhecer com mestria,
E envelhecer com mestria.

Vão pintar o teu retrato
Sem qualquer ponta de maldade
Far-se-á grande aparato
Se contestarem a verdade.
A fita métrica não é a tua
E a medição não é a de um cobarde
Tu tens trinta anos de altura
E apenas um metro de idade.


Lyrics submitted by ElleDriver

Cola-me no Chão song meanings
Add your thoughts

No Comments

sort form View by:
  • No Comments

Add your thoughts

Log in now to tell us what you think this song means.

Don’t have an account? Create an account with SongMeanings to post comments, submit lyrics, and more. It’s super easy, we promise!

Back to top
explain