Carlos Tê / Rui Veloso

No dia da comunhão solene
Fui de camisa engomada
Calças de terilene
E a garganta apertada

O velho alcino barbeiro
Levou-me o cabelo à faca
Fez-me um corte à francesa
Com cheirinho a talco e laca

Que domingo deprimente
Eu ali de fato e laço
A sorrir para o retrato
Com cartilha e fita no braço

O retrato que aqui vedes
Na cómoda da minha avó
Sou eu, sou eu
No dia da comunhão solene

O meu pai com o seu olhar
A ralhar na catedral
Não fosse eu destoar
E manchar o ritual

Com medo de fazer errado
Concentrei-me até ao fim
Para não trair o ar enlevado
Que a família tinha por mim

Mas quando tudo acabou
Corri a casa disparado
E ao vestir a velha roupa
Fiquei logo confortado

O retrato que aqui vedes
Na cómoda da minha avó
Sou eu, sou eu
No dia da comunhão solene


Lyrics submitted by wwb

No dia da comunhão solene song meanings
Add your thoughts

No Comments

sort form View by:
  • No Comments

Add your thoughts

Log in now to tell us what you think this song means.

Don’t have an account? Create an account with SongMeanings to post comments, submit lyrics, and more. It’s super easy, we promise!

Back to top
explain