Você pertence a uma raça antiga
De pés descalços
E de sonhos brancos
Foi poeira e à poeira volta
O ferro exposto ao calor é brando

Você mordeu a maçã
E renunciou ao paraíso
E condenou a tal serpente
Sendo você que o quis

Por milênios e milênios
Vem correndo pelo mundo
Enfrentando dinossauros
Sem um teto e sem escudo

E agora está aqui
Querendo ser feliz
Chorando como um menino
O seu destino

Você pertence a uma raça antiga
De pés descalços
E de sonhos brancos
Foi poeira e à poeira volta
O ferro exposto ao calor é brando

Construiu un mundo exacto
Acabado e perfeito
Cada coisa calculada
Em seu espaço e a seu tempo
Eu que sou um caos completo
Uma entrada uma saída
Uma regra e uma medida
São conceitos que não entendo

E agora está aqui
Querendo ser feliz
Chorando como um menino
O seu destino

Você pertence a uma raça antiga
De pés descalços
E de sonhos brancos
Foi poeira e à poeira volta
O ferro exposto ao calor é brando

Você pertence a uma raça antiga
De pés descalços
E de sonhos brancos
Foi poeira e à poeira volta
O ferro exposto ao calor é brando

Saudar o vizinho
Acordar a uma hora
Trabalhar cada dia
Para viver a vida
Contestar mais aquilo
E sentir menos isto
E que Deus nos ampare
Desses maus pensamentos
Cumprir com as tarefas
Freqüentar o colégio
Que diria a família
Se você é um fracassado?
Calce sempre sapatos
Sem barulho na mesa
Use meias palavras e
Gravata nas festas
As mulheres se casam
Sempre antes dos trinta
Se acreditam que é pouco
E ainda assim não te aceitam
E no baile dos quinze
Não deixe de comprar
Uma fina champanha
E uma valsa dançar
E uma valsa dançar


Lyrics submitted by The Funk Fucker

Pés Descalços song meanings
Add your thoughts

No Comments

sort form View by:
  • No Comments

Add your thoughts

Log in now to tell us what you think this song means.

Don’t have an account? Create an account with SongMeanings to post comments, submit lyrics, and more. It’s super easy, we promise!

Back to top
explain