Yo, lamentos
Sentimentos de Arrependimentos
Ou apenas desabafos em apontamentos
------- não conheço as manhãs
Vivo na noite onde estrelas são anfitriãs

Fase definida, consciente com final
Diálogo indecente sem contacto visual
Deprimência, sem dar aparência
De um estado bem pesado sem dar conferência
A uma definição muito superficial
Espaço é vital mas o tempo é rival

Mensagem camuflada personalizada por mim
Tenho que perguntar directamente como é o fim
Porqué é assim... E não explica
Enquanto um tanto se danifica

Querem crescimento contra ventos e marés
Tanta merda p'ra voltar-mos a ser bébés?
Temos de cuidar quem nos cuidou antes
Temos de lutar para não ver cenas chocantes

Anos passam violência permanece
Quem me dera que toda a gente se desse... bem!
Estivesse... bem!
Amasse e respeitasse como mãe
Porque é fodido não ter ninguém

[Refrão - x2]
Lamento o inocente
Não pressente a fase deprimente
Consciente acusa o ausente
E diz-me faz o que te peço, sim?
---

Yo, quando pensas que eu não te dou valor
Eu sinto a tua dor
No interior há um narrador que eu escuto

Pensamentos em bruto
A fugir do impacto
Tentar ficar intacto
Para não sofrer mais

Não somos imortais
Somos estranhas criaturas
Separadas entre estéreotipos e estruturas

Para os putos que querem ser felizes: não casem!
Putos que não percebem isto então bazem
Analisem e perceberão
No amor há um milhão
Ouvir a discussão rotinária
Necessaria... mente
Mau ambiente e um cenário sempre divergente

Discurso do coitado numa situação má
Como será viver literalmente num sofá
Pergunta a minha avó
Resposta ela não dá
Doente para sempre quanto tempo mais terá?

Mas eu não digo adeus
Não digo até já
Na dúvida de saber como o futuro virá

[Refrão x2]

Valorizo quem eu mais preciso
'Tou no inferno mostra-me um pouco do paraíso
É cá do peito

Não aceito nada a quem eu não tenha direito
Com respeito dou-me por satisfeito

Ás vezes eu bloqueio
Receio o pior
Á espera de um passeio
Espero que ainda demore

Estou grato pela vida
Apesar de tudo
Aquele que precisa
É aquele que ajudo

Por isso eu reflicto
Acendo o meu isqueiro
Mato a minha goela
Ao som do aguaceiro

Que cai na superfície
Como se fosse choro
Coma dos problemas
E --- é o soro

Devo a quem me fez
E a quem me tem criado
Pelo meu silêncio
Eu peço desculpa e muito obrigado

[Refrão x2]

Desabafos resultados de fraquezas... Brincadeiras com a mente que ás vezes causam incertezas... [x2]

PS: If anyone knows the missing parts, please e-mail me. Thanks :)


Lyrics submitted by sh4vo

Lamentos song meanings
Add your thoughts

No Comments

sort form View by:
  • No Comments

Add your thoughts

Log in now to tell us what you think this song means.

Don’t have an account? Create an account with SongMeanings to post comments, submit lyrics, and more. It’s super easy, we promise!

Back to top
explain